Newsletter #3: WordCamp Europe 2020

A terceira newsletter do WordPress sem Código vai focar nos links gringos, infelizmente, por causa do WordCamp da Europa. Era para o evento ser presencial, mas por causa da pandemia de Covid-19, ficou online. Foi gratuito e transmitido ao vivo pelo YouTube, então você já pode assistir a partir de agora.

Fiz uma live sobre as palestras que mais gostei (que você pode assistir ali embaixo), mas quero apresentar uma versão escrita das minhas opiniões, junto com as recomendações. As palestras estão agrupadas por trilha (houve duas por dia), então os links dão nos momentos em que elas começam. Ainda não há vídeos soltos nem legendas em português. Segue a lista comentada, separada por área:

Design

Prototipando projetos WordPress (Prototyping WordPress projects), de Anyssa Ferreira. Anyssa é membro da comunidade brasileira de WordPress há anos e uma das sócias do Estúdio Haste. Nessa palestra, ela explica como criar um protótipo do seu site antes de começar a fazê-lo de fato, para a experiência ser menos caótica.

Além do bonitinho – princípio de design simples para criar uma experiência de usuário rica (Beyond pretty-simple design principles to create richer user experiences), de Eileen Violini. Eileen defende com maestria que design não existe para deixar as coisas bonitas, e sim funcionais. Ela apresenta alguns princípios de design que você pode aplicar ao seu site WordPress para melhorar a UX (experiência de usuário) ao máximo.

Direção de arte com Gutenberg (Art direction with Gutenberg) de Mel Choyce. Se o design não é a área responsável pela beleza dos produtos, qual é? A direção de arte. Nessa palestra, Mel monta um site lindo usando Gutenberg bem diante dos nossos olhos, inspirada pela matéria do New York Times Snow Fall. Apesar de ter sido publicada em 2012, Snow Fall ainda é referência de direção de arte em artigos online, porque nenhuma matéria havia usado recursos (como vídeos e simulações) da forma que foram usados nela antes.

Teste A/B – a arte de construir sites melhores com ciência! (A/B testing – the art of building better websites with science!), de Ruth Raventós. Em uma das palestras mais completas do evento, na minha opinião, Ruth mostrou o processo de testes A/B, nos quais você coloca duas versões do site no ar simultaneamente e quais trazem melhores resultados de conversão. A franqueza dela também me conquistou quando disse “Sua opinião não importa. Você não é seu cliente. Siga os dados, siga o dinheiro”.

Acessibilidade: transformação digital ou transformação digital social? (Accessibility: digital transformation or social digital transformation?), de Merary Alvarado. Merary explica muito bem os conceitos básicos de acessibilidade e explica por que ela é necessária em todos os sites.

Leis

Por que entender privacidade de dados e legislação sobre cookies para seu site WordPress é crítico para o sucesso (Why understanding data privacy and cookie law for your WordPress website is critical for success), de Suzanne Dibble. Suzanne é advogada e atua na área de privacidade há anos, tendo inclusive publicado um livro sobre adequação de sites à GDPR (a lei europeia de privacidade na internet). A palestra vale para nós, brasileiros, porque a LGPD (nossa lei de dados) foi bastante influenciada pela GDPR.

Conteúdo

Fazendo legendas lindas, acessíveis e que engajam ao mesmo tempo (Making videos captions beautiful, accessible and engaging at the same time), de Ahmed Khalifa. Em uma das palestras mais engraçadas da conferência, Ahmed compartilha seu ponto de vista, como uma pessoa com deficiência auditiva e especialista em SEO, sobre a importância de fazer bem legendas para os vídeos que você publicar na internet.

Como dar às pessoas o que elas querem com seu conteúdo (How to give people what they want with your content), de Ivana Cirkovic. A palestra é curta, mas traz muito conteúdo. O título resume bem as dicas valiosas.

Carreira

Trabalho sustentável para freelancer! (Sustainable freelancing!), de Wendie Huis in‘t Veld. Perspectiva é tudo, não é? Wendie é mãe e trouxe uma metáfora em que eu nunca havia pensado: como você cuidaria de uma criança pequena? Você a alimentaria corretamente, a poria para dormir pelo tempo necessário, deixaria a coitada brincar e descansar quando estivesse precisando. Então por que não fazemos isso na vida de freelancer? É curtinha e não tem slides, então recomendo escutar ao fundo de outra atividade (como lavar a louça).

Mostre ao seu trabalho quem é a chefe! (Show your business who is Boss!), de Jocelyn Mozak. Com um clima intenso de livro de autoajuda, essa palestra também curtinha traz metáforas interessantes que fazem a gente repensar nosso trabalho em relação ao que ele está fazendo pela nossa carreira. E até nossa carreira, em relação ao que ela está fazendo pelos nossos objetivos pessoais.

Comunidade

Seja uma boa chefe: como apoiar seus colegas marginalizados (Be a good boss: How to support your marginalised colleagues), de Tara King. Tara mostra, do ponto de vista de uma pessoa não-binária, ações simples que podemos fazer para não fazer nossos colegas que sofrem preconceitos que não sofremos se sentirem um peixe fora d’água.

Como fizemos a comunidade nigeriana de WordPress crescer com diversidade (How we grew a diverse Nigerian WordPress community), de Mary Job. A história que Mary conta pode ser muito valiosa para a comunidade brasileira. As populações do Brasil e da Nigéria estão na mesma ordem de grandeza (casa dos 200 milhões de pessoas).

Por que a próxima geração é fundamental para a sobrevivência do WordPress (Why the next generation is critical to the survival of WordPress), de David Bisset. Eu nunca havia parado para pensar na questão que David levantou: embora os jovens de hoje em dia produzam muito conteúdo, usam cada vez menos o blog. Tudo fica nas mídias sociais, ou seja, não é propriedade deles. Precisamos dos jovens para ajudar a manter o WordPress no futuro, sim, mas eles também precisam da plataforma de código aberto para garantir seu espaço na internet. Bisset traz dicas de como podemos incluir melhor os jovens, começando por “não tratá-los como crianças”. A Katharina de 10 anos atrás adorou.

Caso você queira assistir à live no canal do WordPress sem Código, aqui está:

Minhas palestras preferidas do WCEU 2020 | Lives sem Código #1

E não se esqueça de seguir o WordPress sem Código nas redes sociais!

1 comentário em “Newsletter #3: WordCamp Europe 2020”

  1. Pingback: Ralden Souza: aproveitar o Gutenberg ao máximo – WordPress sem Código

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.