Felipe Elia: tradução no WordPress

A colaboração dessa semana é com o Felipe Elia, que já faz parte da comunidade WordPress há mais quatro anos e tem um canal do YouTube com novidades e aulas de WordPress. Tirei várias dúvidas com ele sobre como ajudar na tradução documentação do WordPress.org (último artigo daqui) e de temas e plugins (próximo artigo).

Muitas das respostas entraram nos roteiros dos vídeos, mas três ficaram para um vídeo próprio. Para entender a mini entrevista, você precisa saber que as ferramentas de tradução são em inglês e os pedaços de texto que traduzimos se chamam strings. É graças a essas ferramentas que só precisamos mexer com os strings, e não saber programar. Segue um resumo das três questões:

É possível traduzir tema e plugins de uma linguagem além de inglês para português?

Não. Felipe explicou que há uma ferramenta feita pelo venezuelano Yordan Soares que puxa traduções de outros idiomas, mas na própria tela de tradução há uma seção “tradução para outros idiomas”, no qual você pode conferir como aquele string foi traduzido para as línguas de outros voluntários que já colaboraram com o plugin. Ou até com português de outros países.

Como funciona a transição entre níveis de tradutor?

Os níveis de tradutor são:

  • contribuidor – qualquer voluntário que queira traduzir um tema, plugin ou página da documentação. Seu trabalho depende da aprovação do editor de projeto;
  • editor de projeto (PTE) – voluntários com mais experiência podem pedir liberação para aprovar a tradução de temas, plugins ou um meta projeto, como sites de WordCamp e até strings do WordPress.org;
  • editor geral de tradução (GTE) – a função passa a ser mais administrativa do que “mão na massa”. Os GTE podem aprovar as solicitações para PTE e também traduzir o próprio WordPress, o core.
  • gerente local – tem todas as funções e capacidades do GTE e também administra o site brasileiro do WordPress.org.

O legal é que a gente quer muito descentralizar esse poder. Então, se a pessoa ler o guia [de especificações para virar GTE], conseguir traduzir legal e tiver um plugin que ela sempre usa ali, essa pessoa é fortíssima candidata a virar PTE, para ela mesma provar as traduções e não depender de ninguém para aquilo acelerar.

Felipe Elia

A prática de negociar com desenvolvedores de plugins para ganhar uma licença ou desconto em troca de tradução para o português é aceita pela comunidade, ou mal vista?

Felipe explica que não há problema algum nessa troca, mas “a pessoa precisa ter em mente é que se ela não for PTE do projeto, ela não pode apressar os PTEs e GTEs a aprovarem as strings dela.” Então já sabe: não prometa um prazo certo para a sua tradução se você não for o PTE do projeto. Prepare-se lendo o handbook e solicite sua aprovação.

Você também pode assistir à entrevista em vídeo:

Felipe Elia: tradução do WordPress | Colaborações sem Código #2

E não se esqueça de seguir o WordPress sem Código nas redes sociais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.