Page builder da SiteOrigin: vale a pena? Como funciona?

Neste artigo, você vai conhecer a versão gratuita do plugin construtor/criador de páginas – em inglês, page builder – da SiteOrigin, dos temas e addons oferecidos pela empresa: o Widgets Bundle (pacote de elementos) e CSS Editor.

SiteOrigin é o segundo page builder mais popular, entre os gratuitos. É difícil falar dele sem falar do Elementor, então ao longo do artigo vou comparar os dois. O editor dele não é tão amigável quanto o do Elementor, nem é tão completo.

Bloco do page builder da SiteOrigin no Gutenberg

Antes de criarem o editor em blocos do WordPress, quando só existia o editor clássico, o page builder da SiteOrigin era algo de outro mundo. Tive algumas dificuldades quando testei para fazer esse vídeo: o Wordfence (plugin de segurança) pedia confirmação das ações, para início de conversa. E já me acostumei a usar o Gutenberg, então achei a interface menos amigável. Para completar, depois que eu salvava a página como rascunho e saía para fazer outra coisa, perdia o conteúdo inteiro.

Mensagem de erro do plugin de segurança WordFence sobre o page builder da SiteOrigin

Vantagens do page builder SiteOrigin

Depois de eu botar o plugin para baixo, talvez você esteja se perguntando por que alguém usaria. Nas minhas pesquisas, vi que a opinião geral dos usuários era que as páginas feitas com o page builder da SiteOrigin tinha pontuações mais altas nos sites que medem velocidade (como Google PageSpeed Insights, Pingdom e GT Metrix). Por mais que velocidade não seja tudo que importa para deixar seu site no topo do Google, ainda é um fator importante – junto com SEO interno e uma boa quantidade de links externos apontando para seu site.

Outra vantagem é que a empresa que desenvolve tem temas gratuitos voltados tanto para lojas online (com WooCommerce) quanto para blog. O design é bem clean, então não tem erro. Meu preferido é o Unwind porque, além de ter vários layouts de blog, tem foco em WooCommerce e é 100% gratuito. Na página, afirmam que deram uma atenção especial ao código para otimizar tanto a velocidade quanto o SEO.

Exemplo do tema gratuito Unwind, da SiteOrigin

A outra opção 100% gratuita é o Vantage, que eu pessoalmente achei sem graça, embora eles digam que é um dos mais populares do WordPress.

Exemplo do tema gratuito Vantage, da SiteOrigin

Também há duas opções parcialmente gratuitas: Corp, com uma pegada bem séria, focado em rapidez; e o mais novo, Polestar, que me pareceu ser o mais completo.

Plugins complementares ao page builder da SiteOrigin

Voltando ao page builder: por si só, ele vem com uma quantidade limitada de widgets, mas há um plugin gratuito da própria SiteOrigin chamado Widgets Bundle. Além dele, há um de outra empresa, a Livemesh, que se encaixa nos nossos critérios de plugin de qualidade: quantidade de instalações ativas e avaliações; respostas do desenvolvedor aos comentários e se ele foi testado com a versão mais atual do WordPress.

Quem entender de CSS também pode usar o addon SiteOrigin CSS para unificar os estilos de texto e diagramação pela página.

Plugin SiteOrigin CSS

Como usar o page builder da SiteOrigin

Usar SiteOrigin no Gutenberg

Adicionar bloco do page builder da SiteOrigin em página do Gutenberg

Na hora de montar a página, se você usar Gutenberg, pode clicar em “criar com SiteOrigin” ou criar um bloco do page builder, e nele você escolhe se quer adicionar um layout inteiro ou apenas uma “row” – em inglês, significa “fileira”, mas não é necessariamente uma fileira só. Você pode colocar mais conteúdo nela.

Configurações gerais

Tela de configurações gerais do page builder da SiteOrigin

Antes de qualquer coisa, você pode decidir se quer que ele funcione para páginas, posts, e posts customizados (se você usá-los). Se você sentir que ele não se deu muito bem com o Gutenberg, também pode ativar o editor clássico para os tipos de post em que quiser usar o page builder. Caso você tenha selecionado isso, na última opção pode escolher se quer que o editor já apareça quando você criar uma página nova. Ou, embaixo dela, você decide se quer que os widgets apareçam como são, ou no modo de edição.

A terceira opção é para se você quer um link na página para um editor visual como o do Elementor – pode ser útil para iniciantes. Caso você tenha um site com muitas páginas e posts, você também pode decidir se quer que ele mostre na própria lista de páginas quais páginas usam o plugin e quantos widgets cada uma tem.

Depois, vêm duas opções de design: quanto você quer que a imagem do fundo do parallax se mexa, e se você quer que o page builder faça uma cópia da barra lateral do seu site, com a versão dele dos widgets do WordPress – porque ele ocupa a página inteira, então a barra lateral original não apareceria.

Configurações de layout

Configurações de layout do page builder da SiteOrigin

A segunda aba das configurações, Widgets, tem umas opções mais avançadas, então vou pular para a terceira, “layout”. Você já leu o artigo explicando o que é um site responsivo e por que é importante ter um, então só vou dizer para deixar essa opção marcada. O importante aqui é decidir se você quer que seu site se adapte a tablets, e definir as dimensões para a reorganização da página. 

Conclusão

Enquanto o Elementor é feito para criativos, acho que o page builder da SiteOrigin é uma opção interessante para quem tem um perfil mais prático – por exemplo, desenvolvedores que começaram a ir além do código e querem fazer sites bonitos, sem partir de uma tela em branco. Os temas dão uma formatação bonita ao conteúdo, enquanto os layouts prontos aceleram o processo de criação de páginas. O que você acha? Deixe sua opinião nos comentários!

Compartilhe esse artigo em formato de texto ou vídeo:

Page builder da SiteOrigin: vale a pena? Como funciona? | Série Page Builders #3

E não se esqueça de seguir o WordPress sem Código nas redes sociais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.